Meu lado da história: cansados da igreja

Há 1 ano e meio percebi o que era isto. Fiz um curso de missão integral na missão cena e fui tremendamente abençoado por Deus lá. Pude ver realidades que desconhecia e adquiri entendimentos maiores sobre o meu papel e a minha contribuição para Deus.

Contudo, naquele período, também concordei com várias constatações sobre práticas de igrejas que não era ênfase de Jesus. E, por estar no meio, por ouvir e concordar, pois de fato muito disto acontecia. Algo aconteceu com meu coração.

Neste período também tive contatos com várias opiniões de pessoas que se diziam cansadas da igreja, por meio do twitter e outros. E, quero contar como foi:

1) Eu não sei o que é isso. O que é esse sofrimento. Por isso respeito e entendo hoje vocês. Sou grato a Deus porque nasci de novo, cri em Cristo, em uma igreja que não realiza a maioria das práticas citadas que motivam a desilusão e o sofrimento de alguns cristãos. Talvez seja um privilégio, ou algumas situações difíceis aconteceram e eu nem percebi, porque acredito que estava tão empolgado com Jesus que nem as vi. E, eu não sou do perfil que vê isso, viu? Talvez alguém diga que eu não seja um revolucionário… Já pensei nisto. Mas estou grato com o meu papel.

1b) Também acredito que contribuiu para isto o que vivi nos primeiros anos da minha caminhada cristã em um momento muito bom de nossa igreja local com Deus… vivemos parte de um avivamento, alguns aspectos me faz acreditar nisso… E, isso sucedeu o meu primeiro amor – minha conversão a Jesus Cristo. Logo, vivi uns 4 anos intensos com Jesus.

2) Por tanto ouvir e ler, eu senti essa revolta dentro de mim. No tempo do curso, ouvi muitas pessoas e percebi que havia um pouco de rebeldia em minhas indagações. Neste período, Deus me ajudou muito. Falou comigo por várias vezes e isto mudou meu coração, me levou a me arrepender, e graças a Deus esse sentimento passou.

2a) Li um texto, do Ariovaldo Jr, (Clique Aqui para lê-lo) que cravou em mim um entendimento que eu até posso atirar a pedra na vidraça da igreja, mas eu iria me cortar com os cacos de vidro. A forma que eu questionasse as práticas que considerava errado estava diretamente ligado a como eu teria que lidar com várias situações em minha volta.

2b) Depois ouvi uma pregação do Pr. Caio Fábio (Clique aqui para ouvi-la) e aos que não gostam mais dele, acreditem, Deus usou essa palavra para me corrigir. Ela falava que tudo aquilo que eu semeasse eu iria colher e se eu semeasse rebeldia, eu também iria colher rebeldia… e assim vai, o que semeasse, colheria. Eu vi com meus próprios olhos isso acontecendo… Isso me levou a pedir perdão e a orar pela “minha” igreja. Lembro-me que eu chorei por causa disso. Percebi que as pessoas que mais estiveram perto de mim neste tempo, foi a galera do teatro Pintando os 12 (antiga formação). Por isso, compartilhei com todos eles esta palavra para que eles pudessem ser tratados, caso eu tivesse os influenciados nisso.

3) Lembro também que um dia houve uma discussão (debate sádio) sobre a igreja no curso de missão. Então, várias pessoas falaram, mas no meio da conversa, o líder do curso levantou a voz e falou (eu não esqueço): “eu tenho muito cuidado quando eu falo da igreja, porque ela é de Cristo”. Gente, isso trouxe temor para o meu coração. Glória a Deus. Também percebi que quando fazemos algumas coisas para Deus e vemos pessoas/igrejas não fazendo, podemos nos achar melhores. Pode surgir orgulho e arrogância aí. Quem vive em trabalho missionário deve me entender.

4) Por fim, no meio de tantos questionamentos que vivi neste período. Se iria ser voluntário na missão, em busca do que Deus queria, encontrei minha identidade atual. Tive que entender qual é o meu papel para Jesus atualmente.

4a) Vi um video do Pr. Ariovaldo Ramos, que foi questionado sobre algumas coisas faladas pelo Pr. Caio Fábio, ele responde mais ou menos assim: “O Caio Fabio luta pela Igreja de Cristo do lado de fora (ele diz isso) e eu (disse o Ariovaldo) luto pela igreja do lado de dentro.” (Clique aqui para ver o video)

4b) Eu percebi que ainda tinha que construir muitas coisas. Percebi depois que comecei a querer entender melhor sobre a igreja. Fui ver pessoas falarem sobre o assunto. Também me identifico como alguém que luta pela Igreja de Jesus do lado de dentro.

Eu peço que Deus ajude a muitos que sofreram, que tiveram suas vidas “rasgadas”. Oro para que Deus trate o coração de vocês. Ele é Mestre em restaurar e reconciliar. E que o Senhor nos ajude a prosseguir.

E Hoje me considero um pouco como o Sandro Baggio – Cansei dos Cansados, dos que não querem mais ir a igreja, pois parece que fazem isso como uma reação pela dor (emocional). Não acredito que seja possível ser cristão sem partir o pão (vida) em uma igreja. Seja essa igreja no formato que for… entendendo que ela é um ajuntamento de pessoas por causa de Jesus – Eclesia de Jesus.

Temos pessoas que precisam de ouvidos, abraço e amor verdadeiro de irmãos em Cristo.
Se todos tiverem cansados, quem vai ajudar no processo de restauração ?
Quem ajudará no processo de cura, arrependimento e perdão ?
Quem ajudará as pessoas a voltar a olhar para Jesus e deixar de olhar as falhas dos Homens ?
Então… entendendo que eu podia me levantar… pra que esperar alguém vir fazer isso? Deus pode fazer diretamente.

Então, qual é o seu papel diante dessa realidade ?
Qual é a sua identidade ? (talvez Deus esteja criando isso em você)
O que você vai fazer em prol do Reino de Deus ?

E se você for um revolucionário, por mim tudo bem.
Desde que também esteja tudo bem para o Senhor que têm propósitos por meio de você.

Eu creio que Deus tá no controle dessa percepção de práticas erradas. Logo, levantar minha voz com altivez, orgulho e arrogância é falha minha… se isso acontecer. Acredito que Jesus tá no controle da sua Igreja e as mudanças, não vão acontecer, pois já estão acontecendo.

As vezes acho que podia ter feito mais. Sei que há muito o que se fazer. As vezes vejo alguns fazerem algumas coisas que pra mim parecia tão longe… Oro por isso também. Taí talvez meu erro… Mas não carrego esse jugo. Tenho valorizado o que tenho conseguido por em prática. Na Missão Cena adquiri alguns sonhos novos – ainda quero vivê-los…

Algumas coisas eu já descobri, mas muitas outras, hoje penso em algumas, temo vivê-las…
No lidar com as pessoas, no amar e depois ter que perdoar…
Mas se Cristo viveu… um dia me depararei com estas realidades.

Eu quero amor e resiliência para prosseguir crendo em Cristo no meio da igreja.
Creio que estou sendo forjado para uma glória muito maior que todo sofrimento que eu viver aqui na terra.

Notas:
Versículos que me confrontaram sobre este tema:

a) ” Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor. Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus. Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos.” (Hebreus 12:14-15)

b) ” Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna. ” (Galátas 6:7,8)

c) ” Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia.” (hebreus 10:25)

d) ” Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” (1 João 1:7)

Anúncios

2 Respostas para “Meu lado da história: cansados da igreja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s