Indo ao Alto da Montanha


A história é sobre um grupo de alpinistas que saiu para escalar uma alta montanha na Europa. A vista gabava-se de um pico belíssimo de rochas cobertas de neve. Nos dias claros o cume coroado de gelo reinava como um rei no horizonte. Sue pico se projetava para o céu azul, convidando admiração e oferecendo inspiração.

Em dias assim os alpinistas faziam maior progresso. O pico se alteava acima deles como um alvo sedutor. os olhos eram atraídos para cima. O andar era enérgico. A colaboração generosa. Embora fossem muitos, eles subiam como um só, todos olhando para o mesmo cume.

TODAVIA, em alguns dias o pico da montanha ficava encoberto. A cobertura de nuvens apagava a beleza do azul como um véu sombrio e cinzento, bloqueando a visão da montanha. Nesses dias a subida se tornava difícil. Os olhos baixavam e os pensamentos se introvertiam. O alvo era esquecido. O mau gênio reinava. O cansaço era um companheiro presente sem ser convidado. As queixas picavam como espinhos na trilha.

Nós somos assim, não é? Enquanto podemos ver o nosso sonho, enquanto nosso alvo está à vista. não há montanha em que não possamos subir ou cume que não possamos escalar. Mas se for tirada a nossa visão, bloqueada a contemplação do fim da trilha, o resultado é tão desanimador quanto a jornada.

Pense nisso. Esconda o Nazareno que nos chama do alto da montanha e veja o que acontece.

Ouça os gemidos dos alpinistas quando param e sentam ao lado no caminho. Por que continuar se não há qualquer alívio a vista? os peregrinos que não têm uma visão da terra prometida se tornam proprietários de suas próprias terras. Eles trocam as botas de alpinismos por tênis e trocam seu bordão por uma nova poltrona.

Em lugar de olhar para cima, para Ele, olham para dentro, para si mesmos, e para fora, um para o outro. O resultado? Febre de confinamento. Famílias em conflito. Líderes inquietos. Construção de cercas. Territórios demarcado. Sinais de “proibido a entrada!” colocados nos corações e nos lares. As discussões se transformam em brigas à medida que os grupos míopes se voltam para olhar as fraquezas mútuas em lugar de voltar-se para adorar sua Força comum.

Marque bem. Somos aquilo que vemos…

Foi por isso que Deus se aproximou. Para ser visto. E é por isso que os que o viram jamais foram os mesmos “vimos a sua glória” exclamou um seguidor. “fomos testemunhas oculares da sua majestade”, sussurou um mártir. Tiveram um vislumbre do pináculo. E recusaram-se a deixar de subir até chegarem ao topo. Eles queriam ver Jesus.

Nota:
Esse é o último exemplo do Livro: Deus chegou mais perto (Max Lucado) – pg. 140 e 141.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s